top of page
Buscar
  • Foto do escritorLara

FAMÍLIA

Organização de origem divina.


Família! Fonte de alegria e de dor.


Família é o lugar de responsabilidades e compromissos, alegrias e bênçãos da vida, sempre está sob o domínio das consequências, na direção dos reajuste, do aperfeiçoamento, da felicidade e da comunhão fraterna entre as almas

.

A definição de família é a organização social constituída por pessoas que possuem laços consangüíneos. Mas o significado de família também pode abranger o conjunto de pessoas unidas por convicções ou interesses, independentemente da existência de ligações ancestrais


Quando analisamos a família pela ótica espiritual, ela tem um sentido mais amplo e complexo. Vejamos o que diz Allan Kardec em O Evangelho segundo o Espiritismo. Capítulo XIV - Honra Teu Pai e Tua Mãe, item 8 - Parentesco Corporal e Espiritual diz: Os laços do sangue não estabelecem necessariamente os vínculos entre os Espíritos. O corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito, porque o Espírito já existia antes da formação do corpo. O pai não gera o Espírito do filho: fornece-lhe apenas o envoltório corporal. Mas deve ajudar seu desenvolvimento intelectual e moral para o fazer progredir. Emmanuel no livro Vida e Sexo pela psicografia de Chico Xavier diz: Há, pois, duas espécies de família: as famílias pelos laços espirituais e as famílias pelos laços corporais. Duráveis, as primeiras se fortalecem pela purificação e se perpetuam no mundo dos Espíritos, através das várias migrações da alma; as segundas, frágeis como a matéria, se extinguem com o tempo e, muitas vezes, se dissolvem moralmente, já na existência atual. De todas as associações existentes na Terra excetuando naturalmente a Humanidade - nenhuma talvez mais importante em sua função educadora e regenerativa: a constituição da família. De semelhante agremiação, na qual dois seres se conjugam, atendendo aos vínculos do afeto, surge o lar, garantindo os alicerces da civilização.


"Mas se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel.” — Paulo. (1 Timóteo, 5.8)

A família terrestre é formada por agentes diversos, porque nela se reencontram afetos e desafetos, amigos e inimigos, para os ajustes e reajustes indispensáveis ante a Lei de Amor do Pai.


É importante que nós reconheçamos que o grupo familiar evolui sem parar para conceitos mais amplos de vivência coletiva, sob o imperativo do aperfeiçoamento geral, a família é como uma escola valiosa para cada um de nós. A família é uma organização de origem divina, onde nós encontramos os instrumentos necessários ao nosso próprio aprimoramento para que o mundo seja melhor. É por este motivo que Paulo de Tarso enfatiza: Mas se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel.


As palavras do apóstolo têm como foco tanto a família consangüínea quanto a espiritual, constituída pelos laços da fraternidade. Contudo, independentemente de como o grupo familiar está organizado, deve ser considerado uma parte, uma célula da família universal que é a Humanidade.

Com essa questão em mente, nós então entendemos que os deveres e cuidados destinados à família consangüínea são tão importantes quanto os vinculados à família universal, mantida à custa da união social, como lembra Paulo de Tarso, “porque nenhum de nós vive para si”


Emmanuel nos diz que a casualidade não se encontra nos laços da parentela. Porque os princípios sutis da Lei funcionam nas ligações consanguíneas. E nem sempre os laços de sangue reúnem as almas que tem afinidades. Frequentemente, pelas imposições dos laços de sangue, grandes inimigos são obrigados a conviver sob o mesmo teto. Emmanuel nos diz uma coisa interessantes: É razoável sugerir-se uma divisão entre os conceitos de “família” e “parentela”. O primeiro constituiria o símbolo dos laços eternos do amor, o segundo significaria o cadinho de lutas, por vezes acerbas, em que devemos diluir as imperfeições dos sentimentos, fundindo-os na liga divina do amor para a eternidade. A família não seria a parentela, mas a parentela converter-se-ia, mais tarde, nas santas expressões da família.

Os membros da família são naturalmente impelidos pelas causas do passado a reunir-se no presente. É indispensável entendermos isso para que possamos pagar com alegria os débitos que nos ligam pelos laços da família consanguínea a alguns corações, para que nós venhamos a liquidar nossas dívidas não só para com esses espíritos mas também para com a Humanidade. Não adianta fugir dos credores que respiram conosco sob o mesmo teto, porque o tempo é implacável, demore o quanto for, ele nos constrange à liquidação de todos os compromissos do passado. É preciso entender que a Família é um grupo de pessoas reunidas cuja finalidade é se ajudarem, são espíritos que devem aprender a amar e perdoar, na convivência diária.

Na maioria das vezes nós não encontramos harmonia no grupo familiar. As famílias são marcadas por frequentes conflitos: brigas entre irmãos; separação dos pais; discussões entre sogra e genro; abandono de idosos... E muitos se perguntam Por que isto acontece? Falta o entendimento do problema sobre a ótica espiritual, porque na maioria dos casos, esses relacionamentos conturbados são de espíritos que se prejudicaram uns aos outros, em vidas anteriores. Foram inimigos e agora estão se reencontrando. Unidos não pelo afeto, nem por afinidade, mas para que tenham a oportunidade de reconciliação, enfrentam dificuldades para se harmonizarem porque, de forma inconsciente, guardam a mágoa do passado. Daí tantas desavenças que perturbam tão facilmente a vida familiar.


Devemos sempre nos lembrar que as trevas tentam a todo o custo desestabilizar os núcleos familiares de diversas formas. Como a família é organização de origem divina e pilar de sustentação da sociedade, ela tem sido atacada ferozmente por aqueles que querem e defendem, mesmo que inconscientemente por invigilância, desestruturar e acabar com a família. Portanto, os valores como amor, bondade, fraternidade, tolerância dentre outros, devem ser acalentados no seio familiar.


Convivendo em equilibrio


A família é campo de trabalho e de luz da alma, somente vencem aqueles que se revestem de paciência, renúncia, bondade e boa vontade. Aprender a usar a bondade aliada ao entendimento e à vigilância permite que a experiência familiar tenha êxito.

Quando não toleramos um pequeno desgosto em nosso lar, uma pequena rusga com nossos familiares, quando não sabemos sacrificar-nos uns pelos outros de forma espontânea e com alegria, estaremos nos comprometendo com mais débitos a serem pagos mais tarde, na esteira do tempo. Evitemos em nosso lar as reclamações improfícuas ou destrutivas. Sejamos nós o bom exemplo, procurando entender e auxiliar a todos em casa, para que todos em casa nos entendam e auxiliem na luta diária da vida, tanto quanto seja possível.

Lembremo-nos de Emmanuel no livro Família, pela psicografia de Chico Xavier: O lar é o porto de onde a alma se retira para o mar alto do mundo, e quem não transporta no coração o lastro da experiência dificilmente escapará ao naufrágio parcial ou total.

11 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 comentario


Jeferson Souza
Jeferson Souza
07 nov 2023

O grupo família enfrenta diversos desafios e o Espiritismo nos elucida sobre a questão com maestria. Ótimo artigo Lara, esclarecedor! 😊

Me gusta
bottom of page