top of page
Buscar
  • Foto do escritorLara

PACIÊNCIA

Perseverança no bem apesar de todos os desafios.



Paciência é a qualidade de quem suporta algo sem reclamar, com resignação.


É virtude que deve ser cultivada e desenvolvida em cada um de nós, pois a paciência faz com que suportemos os desafios sem perder a calma, permite aguentarmos com tranquilidade uma eventualidade, tristeza ou ação maldosa.


Também pode ser definida como a faculdade de não desistir facilmente de algo, de ter perseverança e constância.


Devemos fazer algumas perguntas a nós mesmos, respondendo com sinceridade e honestidade. Será que nós somos pacientes? Será que nós conseguimos suportar as dificuldades da vida sem reclamar, com resignação? Ou será que nós perdemos a calma ao menor sinal de contrariedade? Será que nós temos tranquilidade para passar por eventos de tristeza, passar por uma ação maldosa… Será que nós desistimos facilmente daquilo que queremos ou será que nós temos perseverança, constância, paciência para seguir em frente?


Paciência é passaporte para todos aqueles que aspiram a avançar nas vias do progresso. - Chico Xavier por Emmanuel

Vamos pensar o seguinte: Você está na estrada, viajando de carro com a sua família, e começa a perceber alguns motoristas apressados, conduzindo o veículo acima da velocidade permitida, fazendo ultrapassagens perigosas… como você age? Você fica irritado e começa a agir como eles, ou toma conselho com a paciência e a prudência e continua seu caminho guiando o seu carro com cuidado, não colocando nem você nem os outros em situação que possa acarretar um acidente?


Quando você está em um local com mais pessoas, uma festa por exemplo, e percebe que  começou uma discussão que está ficando acalorada. Como você age? Você toma partido da discussão, inflamando mais ainda o ambiente? Ou você age para pacificar essa situação de tensão exagerada que de outra forma poderia até acabar em agressão física?


Quanto mais agitação no plano externo, mais imperiosa se faz a necessidade de calma em nosso campo íntimo, se quisermos superar as perturbações e obstáculos.


Emmanuel nos diz para evitarmos choques destrutivos e doarmos o melhor de nós aos programas de ação que nos propomos a realizar, exercitando entendimento e tolerância, conscientes de que para coibir quaisquer calamidades, no terreno do espírito, a paciência é o preservativo ideal.


Não podemos nos deter em lamentações diante dos problemas e crises. Se estamos verdadeiramente engajados na causa do bem, é preciso estar em serviço constante usando paciência, serenidade e amor.


Coragem, amigos! Tendes no Cristo o vosso modelo. Mais sofreu ele do que qualquer de vós e nada tinha de que se penitenciar, ao passo que vós tendes de expiar o vosso passado e de vos fortalecer para o futuro. Sede, pois, pacientes, sede cristãos. Essa palavra resume tudo. - Allan Kardec - Evangelho Segundo o Espiritismo

Paciência na vida é a força que nos guarda do desequilíbrio, que pode nos levar a situações inesperadas. Nenhum de nós consegue servir ou consegue se educar sem saber suportar as dificuldades e as crises. É preciso compreender que a dor que nos acompanha, seja ela física ou moral, é o buril que vai nos apurar, é a ferramenta que vai nos tornar melhores.


Deus age a todo instante, em toda a parte, sempre construindo o melhor para cada um de nós. Por mais dolorida esteja a nossa vida no momento, por maiores sejam as dificuldade que enfrentamos, é preciso sempre a paciência para continuarmos servindo na obra do Pai.


Emmanuel tem uma frase que eu adoro sobre a paciência, ele diz assim: Serve com paciência, depois entenderás. Emmanuel está certo, quantas vezes nos deixamos levar pela raiva, pela irritação, e agimos precipitadamente, sem parar para pensar, sem tomar conselho com a paciência, e então, uma situação que era fácil de se resolver, vira um enorme problema.


E nós precisamos ter em mente que um pequeno momento de invigilância da nossa parte pode nos custar caro. Cultivar a paciência é processo educativo da alma, ela nos imuniza contra males maiores. Quando utilizamos o recurso da paciência, nós evitamos descer aos abismos do delírio e da irritação que muita vezes precedem a obsessão e a delinquência.


Não podemos, no entanto, confundir passividade com paciência, pois passividade nem sempre significa resignação construtiva. A passividade caracteriza-se por ausência ou reduzida vontade de agir e também por fraca capacidade de reação. O sujeito que sofre de passividade tem igualmente uma falta de iniciativa e de poder de decisão.


Necessário é cultivar em nós mesmos a paciência juntamente com o trabalho porque esse é o clima indispensável para que diante das dificuldades nós possamos receber auxilio da Providência Divina. E a Providencia Divina se manifesta em auxílio em nossas vidas de formas variadas e por meios imprevisíveis.


Basta observarmos: quando os problemas aparecem e nós nos perdemos no desespero ou se diante dos obstáculos ficamos indefinidamente na queixa, na reclamação, nós não conseguimos nada a não ser tumultuar a própria experiência, e agindo assim impedimos a presença da tranquilidade em nosso íntimo que é condição imprescindível para recebermos o auxílio efetivo do mais alto.


É preciso compreender que, quando os sofrimentos e as provações baterem à nossa porta, devemos nos refugiar na paciência e no trabalho e assim conseguiremos perceber como a espiritualidade superior colabora conosco para que quaisquer dificuldades e sombras no nosso caminho sejam atenuadas.


Emmanuel nos diz no livro Mãos Unidas, pela psicografia de Chico Xavier que é necessário lembrar que sem paciência com trabalho nenhuma obra de elevação se consolida, mas é importante salientar que o trabalho sem a paciência pode induzir a desequilíbrio, tanto quanto a paciência sem trabalho pode favorecer a ociosidade.


Em qualquer circunstância, em qualquer situação, o que nós devemos fazer é servir e esperar sempre sem reclamar porque assim vamos adquirir a certeza de que agindo com a paciência conjugada ao trabalho nós estaremos oferecendo constantemente o melhor de nós mesmos em favor do próximo e estaremos nos habilitando para receber o melhor dos outros, sem nunca atrapalhar o concurso de Deus.


Como diz Emmanuel: Paciência, em verdade, é perseverar na edificação do bem, a despeito das arremetidas do mal, e prosseguir corajosamente cooperando com ela e junto dela, quando nos seja mais fácil desistir.


E lembrando Chico Xavier, que em um momento de dificuldade pediu a Emmanuel, seu mentor espiritual, para pedir a Maria Santíssima um conselho para o momento diífcil, recebe como resposta da Mãe de Jesus: Tudo passa.


Tenhamos paciência. Tudo realmente passa.

20 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 comentario


Excelente abordagem e reflexões.

Me gusta
bottom of page