top of page
Buscar
  • Foto do escritorLara

CARIDADE

O amor que move a nossa vontade.

Às vezes me pergunto se sabemos realmente praticar a caridade.

Tantos falam em caridade, em ajudar o próximo, em prestar socorro… mas será que sabemos a abrangência da caridade, como praticar a caridade em toda a sua amplitude?

Caridade, no dicionário, tem a seguinte definição: caridade é o amor que move a vontade à busca efetiva do bem do outro. Ou seja, é o nosso ato praticado em benefício do outro.

Tendo esse conceito em mente, a caridade se torna sublime em todos os aspectos e circunstâncias.

Muita gente pensa na caridade somente como auxilio material. E, claro, não podemos nos esquecer a abnegação admirável daqueles que distribuem pão, agasalho, remédio, socorro para o corpo... Mas será a caridade somente o auxílio material?

Caridade é muito mais que isso.

Caridade é escutar o filho com as novidades da escola quando chegamos em casa exausto do trabalho.

Caridade é trazer o equilíbrio necessário para as relações que vivemos, não deixando que a perturbação, o ciúme, a desconfiança nos domine.

Caridade é dar "bom dia!", sorrindo, para um desconhecido na rua; muitas vezes é o unico sorriso que ele receberá no dia.

Caridade é dar água e comida para um animal em situação de rua, fazer um afago. Sabe-se lá há quanto tempo ele não recebe o carinho de um ser humano?

Caridade é você regar uma planta que está sedenta.

A caridade é, então, realmente, o amor que move nossa vontade em auxílio ao próximo, seja o próximo quem for. A caridade deve pautar todos os atos que praticarmos.

No Evangelho de Lucas 11:41, Jesus nos diz: "Dai antes esmola do que tiverdes." Esta passagem do Evangelho é muito interessante, vejamos: Jesus, tendo sido convidado por um fariseu para comer em sua casa, aceitou. Lá chegando, sentou-se à mesa sem lavar-se cerimonialmente, o que causou espanto ao fariseu, já que era um costume se lavar com toda a cerimônia antes de sentar-se à mesa. Jesus, percebendo o espanto do fariseu, disse-lhe: "Vocês, fariseus, limpam o exterior do copo e do prato, mas interiormente estão cheios de ganância e da maldade.Insensatos! Quem fez o exterior não fez também o interior? Mas dêem o que está dentro do prato como esmola, e verão que tudo lhes ficará limpo." O que será que Jesus quis dizer com essas palavras?

Jesus faz com que reflitamos que mais importante que "sermos limpos exteriormente", é nos limparmos, nos purificarmos, interiormente. Tudo em nosso exterior, inclusive nosso corpo material, é nos dado pela misericórdia do Pai para que possamos evoluir. Toda a fortuna ou autoridade que julgamos possuir, não nos pertence, nós só detemos provisoriamente na marchar evolutiva comum a todos nós. Aquilo que está dentro de nós, nossos sentimentos, pensamentos e emoções, são conquistas nossas, de nosso espírito. É o que está dentro de nós que verdadeiramente possuímos.


O Dono de todo o poder e de toda a riqueza no Universo é Deus, nosso Criador e Pai, que empresta recursos aos homens, segundo os méritos ou as necessidades de cada um. - Chico Xavier pelo espírito Emmanuel

É nesse sentido que dar o que temos é diferente de dar o que detemos. Por isso a caridade é muito mais que fornecer recursos materiais aqueles que, momentaneamente, estão em dificuldade.

É preciso que nos perguntemos, sempre: o que temos de nós próprios para dar? que emoções estamos ofertando ao outro? que reações nós provocamos em quem convive conosco? qual é o nosso estoque de sentimentos? qual a vibração energética que estamos espalhando pelo mundo?

É imprescindível que juntemos dentro de nós sentimentos, pensamentos e emoções saudáveis. É preciso criar em nosso espírito reservas de boa compreensão, amizade, entendimento, paz, amor, alegria, disciplina, disposição em servir, boa vontade… Só assim seremos instrumentos efetivos de auxilio a todos que cruzarem nosso caminho.

E não nos esqueçamos de que sempre é preciso usar de benevolência, demonstrando boa vontade, afeto e estima em todas as coisas para com o nosso próximo, seja ele quem for: homem, animal, plantas, o próprio planeta.

Vale lembrar que a caridade que alimenta o estômago e agasalha o corpo fica reduzida se nós não formos capazes de esquecer a ofensa, de servir diretamente ou de não acendermos luz diante da ignorância.

E sigamos o conselho de Jesus, registrado em Mateus 6:3-4: "Mas, quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita, de forma que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito em segredo, o recompensará." Ou seja, quando fazemos caridade alardeando aos 4 ventos, postando fotos em redes sociais, estamos agindo como hipócritas, falsos, somente sinalizando virtudes que não possuímos.

Existe ainda uma caridade que poucos de nós praticamos, e na maioria das vezes, a praticamos muito mal. Estou falando da caridade moral.

A caridade moral consiste em nos suportamos uns aos outros nesse mundo inferior em que vivemos. E como é difícil!!! É difícil nos calar e deixar o tolo falar; é difícil não se exasperar diante da zombaria e de palavras escarnecedoras; é difícil ser cego diante do sorriso de desdém… Mas é nosso dever nos esforçarmos para praticar a caridade moral, nos suportando e nos respeitando, diante de todas as diferenças de crenças, pensamentos e ações.

Exerçamos a caridade dando não só o auxilio material necessário, mas também o que há de melhor dentro de nós. Espalhemos alegria e bom ânimo, compreensão e dedicação, porque só assim nós nos elevaremos, afinal, o amor que espalhamos através do trabalho, da paz e da confiança é sempre a maior dádiva que damos e recebemos.


Uma pequena lição


Waldemar era um homem muito rico e gostava de fazer galhofa, zombar de seus empregados. Certo dia resolveu dar uma linda cesta cheia de lixo ao seu jardineiro, João, que era um homem bastante pobre. Waldemar chamou João, na frente dos outros empregados, e então deu-lhe a cesta com lixo. João, sorriu e correu com a cesta cheia de lixo para esvaziar, lavar e encher de flores e devolveu ao Waldemar.

Waldemar, com muito espanto, ficou intrigado e perguntou a João:

- João, te dei uma cesta cheia de lixo e você me devolve cheia de flores, por quê?

João, serenamente, respondeu ao patrão:

- Sr. Waldermar, te dei flores porque todo homem dá o que tem no coração.


E nós, o que temos em nosso coração? Lixo ou flores?


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

CASAMENTO

Comments


bottom of page